12/02/2015

Castelo Chillon em Montreux-Suíça



Um passeio imperdível para quem visita Montreux é conhecer o Castelo de Chillon às margens do lago, um monumento medieval de mais de mil anos de história em pedra natural que já passou por várias restaurações, adaptações e renovações. Inspirou artistas escritores e pintores como Jean-Jacques Rousseau, Victor Hugo, Lord Byron, Delacrois e Coubert.

A entrada do ticket custou 12 francos suíços para visita sem acompanhamento, mas é possível contratar um audioguia com um adicional de 6 francos e outras opções para grupos. Mais informações neste site:  http://www.chillon.ch/. 


No interior do Castelo vários espaços como o subsolo com arquitetura que lembra uma catedral gótica e estimula a imaginação como o poema escrito por Lord Byron " The Prisoner of Chillon" ( O Prisioneiro de Chilon ). Neste espaço ficavam as celas de prisioneiros e durante a visita em algumas salas são projetadas sombras simulando fantasmas, mas nada assustador.




A visita inclui  salas ligadas por um labirinto de escadas e corredores, os salões que eram utilizados para grandes eventos, os aposentos, pátios internos, coleções, etc. Uma dica muito importante é usar sapatos confortáveis e sem salto porque você anda muito, sobe e desce muitas escadas, e o piso é de pedras irregular em alguns lugares. E se  você tiver fôlego pode subir até o alto da torre com uma vista incrível do lago e da cidade de Montreux.











E os amantes de vinho poderão comprar uma garrafa  Clos de Chillonfabricados no próprio castelo com uvas Chasselas cultivadas pelas muralhas. Na categoria especial o vinho foi premiado com uma medalha de prata no Mondiale du Chasselas de 2014. Os vinhos de Montreux é o assunto do próximo post onde conhecemos os vinhedos tombados pelo patrimônio, e  posso adiantar que são maravilhosos.





Para chegar ao Castelo pegamos um barco no Píer do Calçadão de Montreux, quase em frente à estátua de Fred Mercury que comentamos no post anterior. Compramos o bilhete pela internet neste site:www.cgn.ch, mas descobrimos que pode ser comprado na hora e no próprio barco. O retorno tem duas opções, uma mais rápida e outra mais longa parando em várias cidades do lago. Lógico que escolhemos a mais longa para aproveitar e conhecer outras paisagens, mas estávamos tão cansadas que não aproveitamos muito e só queríamos chegar logo ao hotel e descansar.








Uma das cidades que passamos no retorno a Montreux com o barco foi Vevey Marché, famosa pelos mercados folclóricos organizados pela Vevey Development Corporation, a partir de julho ao início de setembro. Das 10 as 13, vários grupos de canto, dança e música folclórica com degustação de vinhos e produtos locais. O mercado da cidade normal funciona às terças e sextas na Gran Place. 

Outra curiosidade é o enorme garfo espetado no lago que marca a direção do Museu do Alimento - Alimentarium mantido pela sede da Nestlé que fica em Vevey. E a estátua de Charles Chapplin que viveu um tempo nesta cidade.







08/02/2015

Montreux e Freddie Mercury - Suíça

 


Ele...Freddie Mercury foi o motivo de visitarmos Montreux, na Suíça e uma emoção grande estar ali pertinho da estátua que construíram cinco anos após a sua morte na Promenade Fleuri , o calçadão às margens do lago Léman. A primeira vez que comentei entre amigos que gostava de Rock foi um "ohhh" porque ninguém acreditou, talvez porque passo a impressão de ser uma pessoa muito séria, mas que nada.... gosto de rock por mais incrível que pareça e principalmente de Freddie Mercury.

O seu nome verdadeiro era Farrokh Bulsara e nasceu em uma colônia Britânia de Zanzibar na Tanzânia-África, viveu grande parte da vida em Londres e morou em Montreux, seu refúgio onde escreveu as últimas canções e cantou pela última vez. O sucesso da banda britânica Queen começou na década de 70 com Brian May na guitarra e vocal, Freddie Mercury no piano e vocal, John Deacon no baixo e Roger Taylor na bateria e vocal. Suas canções fazem sucesso até os dias de hoje mesmo depois da morte de Freddie Mercury em 1991. E depois de anos sem apresentação da banda, anunciaram no final de 2014 uma turnê, inicialmente no Reino Unido com Adam Lambert como novo vocalista. Quem desejar ler a biografia completa dele e da banda no Wikipédia: FREDDIE MERCURY e BANDA QUEEN.



Seguindo os passos de Fred Mercury, visitamos o Estúdio que pertenceu à banda e  foi transformado em um acervo chamado de QUEEN THE STUDIO EXPERIENCE. O local fica no local original dos Studios Montanha e hoje dentro do Casino Barrière de Montreux, na Rue do Thêatre 9, apenas alguns passos da estátua dele na Promenade. Ficamos horas lá dentro ouvindo todas as músicas, lendo passagens de suas apresentações, assistindo vídeo e admirando seu trabalho e talento.












O espaço mantém uma coleção de peças da banda, roupas utilizadas por Freddie Mercury, rabiscos de letras escritas e a mesa de edição de som entre outros objetos.  Em uma sala reservada, um vídeo em inglês mostra a trajetória da banda com comentários dos integrantes e a ligação de Freddie Mercury com a cidade de Montreux. Soube neste vídeo  que inicialmente ele achou a cidade monótona e chata, mas depois gostou tanto que se transformou em seu refúgio, principalmente depois que descobriu a doença de AIDS.








E para terminar visitamos o Bar que Freddie frequentava, o White Horse que fica quase em frente à sua estátua, mas estava fechado e em reforma.