04/04/2017

Flaminio - Um bairro cultural de Roma









Flaminio tem sido o local que mais frequento em Roma ultimamente porque é a sede da Universidade de Arquitetura La Sapienza, onde estou fazendo mestrado. O Campus fica em outro bairro e outras sedes estão espalhadas pela cidade, mas é nesta área que fica um dos redutos da Arquitetura. E não poderia ser em uma área melhor porque devido a sua transformação urbanística, hoje abriga importantes complexos artísticos e culturais.






A área  Flaminio até o final do século XX era desvalorizada e apenas em 1905, a Companhia de Carros instalou suas fábricas e primeiras habitações públicas e traçados rodoviários começaram aparecer. Com a Primeira Guerra Mundial a área industrial foi convertida para usos militares transformando as indústrias para confecção de armas e quartéis. Somente em 1960 quando Roma sediou as Olimpíadas em 1960, a área passou por transformações urbanas com a Construção da Vila Olímpica, o Palácio dos esportes e o Stadio Flaminio que hoje encontra-se abandonado.

Em 1994, inicia a competição para construção de um novo auditório para a área do Flaminio e o Projeto de Renzo Piano com suas formas incomuns traz novas transformações que não param dando continuidade a consolidação desta área como um novo centro cultural de Roma, principalmente com a inauguração do Museu MAXXI projetado por Zaha Hadid em 2010, e a Nova Ponte della Musica, em 2011.

O Palazzeto dello sport ou Palácio dos Esportes foi projetado em 1956 pelo arquiteto Anibal Vitellozzi e engenheiro Pier Luigi Nervi e sua construção durou de 1958 a 1960 para abrigar os Jogos Olímpicos de Roma. Hoje funciona para eventos esportivos e concertos.

O Museu MAXXI é dedicado à arte do século XXI, leva a assinatura de Zaha Hadid e também é um local de eventos culturais. Informações para visita podem ser encontradas neste site:  http://www.fondazionemaxxi.it/



Ao lado do museu fica a Igreja Santa Croce em estilo românico e projetada por  Aristides Leonori em 1913, por solicitação do Papa Pio X para comemorar o centenário XVI do Edito de Milão. Na fachada um mosaico representa a exaltação à Santa Cruz, a Vitória de Constantino na Ponte Mivio e o Edito de Milão.




O Parco della Musica hoje faz parte da Fundação Musica para Roma e abriga vários eventos, um museu com objetos encontrados durante a sua construção, museu de instrumentos musicais e outros. http://www.auditorium.com/





Uma curiosidade neste bairro é que as ruas do lado norte da Praça de Belas Artes levam nomes de pintores como por exemplo Sandro Boticelli, Pietro da Cortona, Donotello entre outros. E os nomes das ruas do lado sul da Praça de Belas Artes possuem nome de filósofos juristas.

E na altura da Ponte della Musica na Piazza Gentile di Fabriano, fica o Teatro Olimpico com apresentações de dança, teatro, musicais e sede da Academia Filarmonica Romana. Em janeiro deste ano houve um acidente na estrutura do edifício e ele ficou fechado até abril quando houve uma grande festa de reabertura para o público.
http://teatroolimpico.it/



Para chegar :
Com ônibus
Linha 910 da Estação Termini
Linha 168 da Estação Tiburtina
ou
Metro até Estação Flaminio e Tram 2 na Via Flaminia ao lado da Piazza Popolo


Veja Também:
Museu Vaticano e Capela Sistina

Sorvete Giolitti em Roma

Dublin - Irlanda